Ir para conteúdo

Foto

Saga de Ares


  • Por favor, faça o login para responder
235 respostas neste tópico
  • Interesses:Fanfics, conversas interessantes e bons momentos
Bem... Vamos lá.

Ha certos erros gramaticais no texto, Saint. Nada que prejudique a leitura, mas, serve de aviso :rox!:

Gostei demais. O texto tem fluidez e dinamismo. Infelzimente ha passagens que o Portugues de Portugal torna a leitura "Estranha" por conta do estilo e regionalismo do idioma, entretanto, serve como estímulo para se conhecer e entender mais.

Parei no final e fiquei sem entender... Espero o proximo para que a confusão se desfaça.

Grande Abraço, meu amigo Insular.

YA-HÁ

Postado 01/01/2009 - 15:24


Desta vez, a trama sofreu uma grande reviravolta, o que mostra o quanto a história está se desenvolvendo. Como o Hiyuuga disse, o texto tem um modo narrativo bem interessante e, efetivamente, consegue passar bastante emoção.

Sucesso, Saint!!!

Postado 02/01/2009 - 20:37


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Bem... Vamos lá.

Ha certos erros gramaticais no texto, Saint. Nada que prejudique a leitura, mas, serve de aviso XD

Gostei demais. O texto tem fluidez e dinamismo. Infelzimente ha passagens que o Portugues de Portugal torna a leitura "Estranha" por conta do estilo e regionalismo do idioma, entretanto, serve como estímulo para se conhecer e entender mais.

Parei no final e fiquei sem entender... Espero o proximo para que a confusão se desfaça.

Grande Abraço, meu amigo Insular.

YA-HÁ


Os erros já foram corrigidos :P

Entendo que não estejas acostumado com a línguagem lusitana, que haja sempre termos e palavras distintas.

Fico é elogiado por gostares e a dar-me apoio para continuar.

Tás a imitar o Hiruma :)

Desta vez, a trama sofreu uma grande reviravolta, o que mostra o quanto a história está se desenvolvendo. Como o Hiyuuga disse, o texto tem um modo narrativo bem interessante e, efetivamente, consegue passar bastante emoção.

Sucesso, Saint!!!


Obrigado por este comentário, e no próximo caítulo será titulado de "Explicações"

Estejas presente para leres.

Postado 04/01/2009 - 15:53


  • Interesses:Arqueologia CDZ
Ficha Técnica

Alpheratz


Imagem Postada
Fanart de Juan Brito

Classificação: Amazona de Bronze
Constelação protectora: Andrômeda
Idade: 16 anos
Nascimento: 18 de Setembro
Signo: Virgem
Local de nascimento: Japão
Local de treino: Sala de Treino Virtual
Mestre: Velho Andrômeda
Cabelos: Loiros
Olhos: Verdes
Altura: 1m62cm
Técnicas Especiais: Corrente de Andrômeda, Onda de Relâmpagos, Defesa Circular, Tempestade Nebulosa e Sacríficio da Andrômeda.

História:

Trisneta de Shun, de origem japonesa. Embora o seu destino seria ser a Amazona de Andrômeda, decidiu ser uma estudante normal e deixar a tradição que já tinha durado 250 anos.

Com a morte trágica de seus pais, decide ser Amazona encorajada e treinada por seu trisavô, na homenagem deles e a aceitação de seu destino.

A sua personalidade é semelhante a Shun, tema em magoar os seus adversários, mas combate quando é mesmo necessário com uma técnica bem poderosa e apurada.

Xiwang

Imagem Postada
Fanart de Juan Brito

Classificação: Cavaleiro de Bronze
Constelação protectora: Dragão
Idade: 16 anos
Nascimento: 24 de Setembro
Signo: Libra (Balança em Portugal)
Local de nascimento: China
Local de treino: Sala de Treino Virtual
Mestre: Velho Dragão
Cabelos: Verdes
Olhos: Verdes escuros
Altura: 1m76cm
Técnicas Especiais: Cólera do Dragão, Chute do Dragão, Último Dragão, Cólera dos Cem Dragões e Dragão Eterno

História:

Trisneto de Shiryu, o seu nome foi dado pelo seu trisavô que significa Esperança em chinês. Tal como Alpheratz decidiu ter uma vida normal de qualquer adolescente.

Quando soube da morte de seus pais, faz uma promessa em vingá-los da horripilante morte provocada pelos Berserkers, treinado sob a tutela do Velho Dragão.

No seu bícep direito está escrito "Dragão Eterno" em chinês que também é uma técnica de combate.

Ankaa

Imagem Postada
Fanart de Juan Brito

Classificação: Amazona de Bronze
Constelação protectora: Fênix
Idade: 17 anos
Nascimento: 5 de Agosto
Signo: Leão
Local de nascimento: Desconhecido
Local de treino: Ilha da Rainha da Morte
Mestre: Velho Fênix
Cabelos: Vermelhos
Olhos: Azuis
Altura: 1m65cm
Técnicas Especiais: Ave Fênix, Golpe Fantasma da Fênix, Explosão da Fênix e Voo da Fênix.

História:

Ankaa foi a segunda a consagrar na Armadura de Fênix, sobre o seu passado bem como a sua infância e adolescência foi sido treinado por Velho Fênix que ela o considera como pai, apesar dos treinos severos e mortais para uma mulher frágil serviram para fortalecer o carácter e a personalidade de Ankaa.

A sua determinação em combate é digna de um Cavaleiro de Ouro com as suas técnicas baseadas no passáro mortal, por uma estranha razão, ela tem uma ligação com Ikki.

Editado por Saint Mystic, 10/04/2009 - 13:55.

Postado 04/01/2009 - 16:16


  • Interesses:Fanfics, conversas interessantes e bons momentos
Muito bom.

Adorei as Fichas de Personagem... Gostei tanto que vou tentar contigo que o Juan Brito faça alguns fanarts da Era Media também.

E sim, estou a imitar o Hiruma XD

YA-HA :lol:

Postado 04/01/2009 - 17:22


As fichas técnicas são bastante importantes, pois destacam certos detalhes que não são mencionados no decorrer da narração da fanfic. Nesse caso, apesar de curtas e sucintas, as descrições dos três jovens Bronzeados foram satisfatórias. Além disso, deve-se enaltecer a presença das belas ilustrações do fanartista Juan Brito.

Postado 06/01/2009 - 00:10


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Muito bom.

Adorei as Fichas de Personagem... Gostei tanto que vou tentar contigo que o Juan Brito faça alguns fanarts da Era Media também.

E sim, estou a imitar o Hiruma :D

YA-HA ¬¬


Fico elogiado por ter gostado tanto da descirção das minhas personagens, e sei que o meu amigo fará também para ti, as tuas personagens excelentes como faz com as minhas.

Ya-ha, seu maldito leitor.

As fichas técnicas são bastante importantes, pois destacam certos detalhes que não são mencionados no decorrer da narração da fanfic. Nesse caso, apesar de curtas e sucintas, as descrições dos três jovens Bronzeados foram satisfatórias. Além disso, deve-se enaltecer a presença das belas ilustrações do fanartista Juan Brito.


De ti, gosto sempre de ler os teus comentários críticos ao ponto de continuar a escrever mais e mais. Quanto às ilustrações são belas de forma a elogiar o meu amigo fanartista dominicana.

Postado 25/01/2009 - 16:21


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Capítulo VII
Explicações


A confusão ainda estava instalada na Sala, Shiryu não distinguia quem é quem: Delfos chega também e diante dos seus olhos, percebe o que se passa.

- Aquela que esteve sempre connosco, que julgávamos ser a verdadeira, não passava da víbora deus Éris!

- Impossível! Eu e os outros Cavaleiros Anciões conhecemos o verdadeiro cosmo de Atena, como ela conseguiu assimilar o cosmo dela? – Diz Shiryu incrédulo.

Meni ainda agarrava o tridente com as mãos rasgadas de sangue, a verdadeira aparência de Éris era de pele pálida de cabelos cinza e olhar maquiavel, vendo o seu irmão a sofrer, o cosmo de Weize empurra Éris contra a parede, agora Weize assuma a sua verdadeira identidade: a deusa Atena.

- O teu plano cobarde e profano ao fazer passar por mim, fracassou! Não permitirei de agora em diante que mais nenhum Cavaleiro seja ferido ou morto. Volta para o teu irmão e diz a ele que recuperarei aquilo que pertence-me. – Weize assume como a verdadeira Atena.

- És uma tola em deixares-me viva! Erros como este, não serão perdoados! Ha! Ha! Ha! - Enquanto se ri, o seu cosmo desaparece por teletransportação.

- Seja bem-vinda, Atena. Espero que me perdoas pelo meu erro que quase ia levando à extinção do seu exército...- Dizia a sua frase de arrependimento, ajoelhado e de cabeça baixa por ter falhado como Grande Mestre. Atena toca no rosto dele com o seu cosmo amável de olhar sereno.

- Não precisas de desculpar-te, tu e os outros foram vítimas do efeito de Deimos, o seu efeito é de um nível de deus, sem aperceberem foram atingidos no sistema nervoso. – Atena explica toda a tramóia.

Meni não fazia ideia do que a sua irmã falava, Atena olha para o seu irmão com o seu toque suave acelera o processo de cicatrização e constituição na palma das mãos, o seu cosmo acolhedor alivia o estado nervoso e dá uma sensação de calma.

- Weize, de onde os conheces? Que coisas eles falam? Que se passa afinal? – Meni não parava de questionar.

- Meni, na verdade, a tua irmã que conheces por Weize foi escolhida para ser a reencarnação de Atena, que irá ajudar a humanidade juntamente com os seus valorosos Cavaleiros em derrotar entidades divinas que pertencem destruir os seres humanos.

Meni não acredita em nada que Shiryu mencionou, que apenas queria que tudo fosse um pesadelo, que mais ninguém moresse, aperta com força nos braços da sua irmão chorando que não quer aceitar esse destino.

- Ouve-me Meni. Sei que foste feliz com a Weize e teus pais, mas vais deixar que os Berserkers façam o mesmo com as outras famílias que matam sem remorsos? Poderás consagrar Cavaleiro e lutar ao lado deles e mesmo comigo na salvação à humanidade. – Atena propõem um meio para salvar a humanidade.

Meni limpa as suas lágrimas e decide com encorajamento de Atena em honrar a morte de seus queridos pais, então será treinado pela Seika para conseguir a Armadura de Pégasus.

No início da manhã, Shiryu dá as notícias em explicações, discursando um novo reforço aos 20 Cavaleiros vivos que antes eram 60, que agora só resta um terço deles, sem ainda contando com Xiwang, Alpheratz e Meni.

Terminado o discurso, Atena assume como porta-voz aos seus fiéis que nada ainda está perdido, que graças ao conhecimento da primeira Guerra Sagrada contra Ares é possível reunir estratégias com a ajuda do Almanaque que Kiki traz consigo, no entanto, entristece que a sua Armadura está no Santuário, Shiryu interrompe, mostrando um pequeno cofre.

- Atena-sama, a sua Armadura está neste pequeno cofre que guardei-a, quando estava pequena. Mandei ao Kiki e seus filhos para fazerem uma réplica da sua estátua para iludir o inimigo. Como deve saber, não foi utilizado há 250 anos, ficou num estado degradado. Com o seu sangue será revivido em pouco tempo.

A estatueta de Atena estava guardada num core de ouro com detalhes gregos esculpidos com nome dela, no interior estava sobre um colchão vermelho.

Atena pede aos Cavaleiros que repousam as Armaduras na forma de constelação, lá na Enfermaria tira meio litro de sangue, sendo mais do que suficiente. Em cada Armadura é molhado somente uma gota de sangue, os lemurianos são encarregados de trabalhar na resistência que sofram algumas mudanças.

Na Sala de Treino Virtual, Seika lecciona a Meni sobre o treino básico e conceitos da Cavalaria.

Salão de Ares

Desde que Éris se materializou em frente de Ares, discussões atrás de discussões e insultos atrás de insultos foram frequentes.

Ares não suportava ser julgado e ridicularizado pela sua irmã insana que desde os tempos mitológicos acompanhou-o e inspirou a humanidade em períodos de guerra que pareciam intermináveis e sem qualquer esperança. Como ela a conhecia tão bem e que poderia apunha-lo pelas costas. Planeia uma emboscada.

Como resultado do plano, a cabeça de Éris é trazida pelas mãos do seu filho Kiknos.

- Entrego a cabeça de Éris como foi ordenado e seu corpo dado a comida aos abutres para comerem a sua maldita carne, meu senhor. – Kiknos apresentava a sua tarefa feita.

- Ofereço a cabeça como medalha. Agora vai, coloca os teus subordinados em alerta, Atena atacará em pouco tempo. – Ares alertava para o começo da batlaha.

- Recebido, meu senhor. Lealdade, orgulho, disciplina e matança.

Após dito o juramento de seu esquadrão, leva o seu troféu com a expressão maltratada e ensanguentada.

Editado por Saint Mystic, 28/06/2009 - 13:43.

Postado 25/01/2009 - 17:08


Com esse último capítulo, ocorrem certos esclarecimentos e, consequentemente, a trama sofre uma reviravolta. Desse modo, a história se prepara para grandes acontecimentos.

Mais uma vez, parabéns, Saint!!!

Postado 25/01/2009 - 19:13


  • Interesses:Fanfics, conversas interessantes e bons momentos
Verdade.

A descoberta de que a Athena que todos conheciam e respeitavam NÃO era Athena, mas sim, Eris, foi uma jogada excelente que deu um novo ritmo a trama.

A pergunta agora é: E agora??? /Oo

Parabens, Saint.

Postado 26/01/2009 - 12:06


  • Interesses:Yaoi
    Desenho
    Fanfic
    Cinema
    Fanart
    Animações
    Games
    Totosos
    Concept Art
Waaaaaaaah!Não entendi!Você e o Hiyuuga-san gostam de nos enganar né?;w; A Athena não era a Athena, mas Éris né?
Bom, pelo menos ela teve o fim que merecia!/evil

Ah, e a fic está excelente, flui bem e dá vontade de ver o final...>w<
Continue!

Postado 04/02/2009 - 19:06


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Com esse último capítulo, ocorrem certos esclarecimentos e, consequentemente, a trama sofre uma reviravolta. Desse modo, a história se prepara para grandes acontecimentos.

Mais uma vez, parabéns, Saint!!!


Obrigado por teres gostado e lido, tinha pensado em fazer uma mudança provocando uma revolta que desperta-se um maior prazer pela leitura e história.


Verdade.

A descoberta de que a Athena que todos conheciam e respeitavam NÃO era Athena, mas sim, Eris, foi uma jogada excelente que deu um novo ritmo a trama.

A pergunta agora é: E agora??? /flood

Parabens, Saint.


Isto ainda não acabou, meu amigo, em breve terás mais emoção e surpresa nos próximos caps.

"Posta mais, seu maldito" YA-HA /evil

Waaaaaaaah!Não entendi!Você e o Hiyuuga-san gostam de nos enganar né?;w; A Athena não era a Athena, mas Éris né?
Bom, pelo menos ela teve o fim que merecia!^^

Ah, e a fic está excelente, flui bem e dá vontade de ver o final...>w<
Continue!


Obrigado por leres o meu fic a convite, e tenho a certeza que este fic será um motivo da tua atenção.

Postado 08/02/2009 - 13:09


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Capítulo VIII
O despertar de Pégasus


O treino de Meni era feito na Sala de Treino Virtual preparado numa situação precária sob supervisão de Seika, em que num espaço de 12 horas de um dia equivalia na dimensão holográfica um ano.

Os seus esforços progrediram de forma extraordinária devido à percepção e perspectiva das teorias defensivas e ofensivas nos combates, já dominava o cosmo e as técnicas heranças. Os relatórios de treino apontavam a falta de motivação ou razões para o apuramento do sétimo sentido.

Seika contava a Shiryu e Atena que ele precisava de uma situação real que desperta-se de uma vez o sétimo sentido e usar a celébre Armadura do cavalo alado.

Num momento de surpresa, Ikki entra sem Ankaa a segui-lo que ofereceu como voluntário para o teste final.

- Que dizes?! Ofereces para ajudar Meni a descobrir o seu sétimo sentido?! Isso nem parece teu! – Shiryu surpreende com a ajuda do Velho Fênix.

- Não precisas de saber a razão, este pirralho nem vai saber o que lhe atingiu. - Dizia isso no seu tom habitual.

Shiryu pensa que nessas ocasiões Ikki se manifesta raramente, com intenções de auxiliar um companheiro.

Na Sala de Arena de Gladiatores do ponto mais alto era observado por os Cavaleiros Anciões, Seika e Atena, em baixo estava Ikki com Meni, a caixa de Pandora de Pégasus estava nas bancadas.

Ikki olhava para Meni com olhos de inimigos fazendo uma simulação realística de batalha.

- Prepara-te, miúdo! Se queres viver, terás de vencer-me.

- Sim, senhor. Darei o meu melhor.

Ikki ataca a criança com agressividade, apesar da sua idade, mostra um espírito de guerreito, Meni levava fortes murros sem podendo ripostar.

- Como queres proteger a tua irmã desta forma? A tua determinação é feita de justiça ou vingança? – Ikki puxa por ele.


- Não questionas a minha determinação Meteoro de Pégasus - Meni enfurece com o sarcasmo dele.

Os meteoros disparados voam na direcção dele, no entanto, sente uma diferença neles.

- Estes meteoros não são os mesmos que senti pela primeira vez que Seiya atingiu-me na posse pela Armadura de Ouro, eram destrutivos e hostis. Estes nem chegam perto. - Ikki em pensamento:

Todos os meteoros são aparados com a mão movendo na velocidade da luz.

- Não acredito! A minha técnica é inútil contra um débil ancião!

- Sou um veterano experiente. Vejo que não tens estofo para seres um Cavaleiro! Golpe Fantasma de Fênix

O golpe trespassa a testa de Meni que fica paralisado com a visão siderada. Dentro da sua cabeça, assista às memórias da sua alma, aos acontecimentos passados das suas vidas anteriores como Saint desde os tempos mitológicos, ao ano 1743 e 1986 e agora o futuro conquistado por Ares, glorificando a sua vitória, na sua mão direita estava a cabeça decapitada de Weize com lágrimas de sangue. Meni grita enlouquecido com uma fúria máxima ergue o punho direito despertando o sétimo sentido e também usando a Armadura no corpo a lançar o “Cometa de Pégasus” que acerta na cara de Ares, na verdade, acerta na da Ikki que arremessa-o contra uma parede e levanta uma poeira de pó.

Depois de desaparecer a poeira. Ikki levanta-se com dificuldade devido ao forte dano que lhe fora causado. O Velho Fênix ria-se para si que Seiya voltou.

- Muito bem, piralho! Receba o pássaro mortal, Ave Fênix

O pássaro de fogo voa contra Meni, é evitado por um salto alto que asas da Armadura se abram, vários meteoros são lançados, Ikki escapa dos primeiros, porém, a velocidade não é constante, recebe alguns no peito. O combate termina, Meni mal acredita que conseguiu tal proeza, os que observaram, desceram e deram os parabéns a ele, Ikki como sempre não gosta de envolver em grupo e vai se embora.

Ao caminhar no corredor, Ikki cospe um pouco de sangue e toca nas suas feridas causadas pelo meteoro.

No dia seguinte, houve festejos de três novos Cavaleiros de Bronse: Xiwang de Dragão, Alpheratz de Andrômeda e Meni de Pégasus.

Agora, no seu exército tinha: 9 de Ouro; 7 de Prata e 8 de Bronze, totalizando 24 Cavaleiros no cargo.

Atena manda-os para a Sala de Reuniões para dar conhecimento sobre os insanos Berserkers mostrando slides de apresentação feitos na informação retirada do Almanaque dos lemurianos para o planeamento.

Os slides eram projectados na parede com imagens do livro, Atena explica, segundo os seus conhecimentos do primeiro confronto com Ares na Era do Caos.

- O inimigo que enfrentaram é conhecido por Berserker, guerreiros de força descomunal com insaciável sede de poder, sedentos de sangue, caóticos, de natureza destrutiva e possuidores de armas. Liderados por Ares e comandados pelos filhos dele. O seu exército divide-se em 4 esquadrões: Terror, chefiados por Deimos, cuja as suas habilidades são inspiradas por terror psicológico; Medo, por Phobos, em desvendar os medos mais profundos e usar contra as suas vítimas; Destruição, por Keres, combatentes de força sobre humana e destruição sem limites e Carnificina, por Kiknos, titulares especializados em assassinatos e matadores potenciais. – Atena dá todos os detalhes com base na guerra sagrada da Era Mitológica.

Apartir desta informação, Shiryu coloca-se ao lado dela, a planear segundo os poderes dos Cavaleiros.

- Analisando a informação dada, sugiro que usámos as armas do Cavaleiro de Libra e outras de propriedade da Armadura de modo a equilibrar as oportunidades de vencer.

- O uso das armas na Guerra Sagrada anterior foi utilizado na esperança da sobrevivência aos ataques ferozes. – A deusa relembra da utilização indispensável das armas.

- Quanto aos Comandantes de Ares, quais são os seus poderes e técnicas?- Hyoga direccionava sua dúvida aos servos mais poderosos de Ares.

- Infelizmente não foram usados na última, pois Ares nunca pensou que seria derrotado e fugiu para o domínio de Hades humilhado.

- Ares e Hades eram amigos? – Shun admira-se com a aliança.

- Ares era odiado por todos os deuses olimpianos, mas, Hades achou ele uma ajuda indispensável em destronar a mim no título de protectora terrestre, formou uma aliança e que concederia os corpos aos seus subordinados.

- Custa a acreditar que haja tantos deuses que oponham a Atena, porém, nós somos o seu apoio moral e esperança. – Hyoga sente que a sua protectora seja injustiçada.

- Em relação, aos esquadrões de Ares, os Beserkers da Destruição são homens brutamontes que usam punhos e armas com fraca defesa.

- Os únicos que poderão medir forças contra tais oponentes são: Kurt de Urso, Sansão de Hércules e Aldebaran IV de Touro e usarão os escudos da Libra. – O Velho nomeia os candidatos.

- Os da Carnificina possuem garras, trajes de animais felinos e grandes velocistas.

- Neste caso, os mais velozes da Cavalaria são Altair de Águia e Diana de Flecha utilizando as nunchakus. – Selecciona com base na destreza e agilidade.

- Os do Terror são especialistas em destruir a calma e o raciocínio.

- Os indicados são Merfak de Perseu e Ankaa de Fênix.

- Por último, os do Medo são os mais perigosos do mais difícil adversário.

- O medo é apenas irracional, nenhum dos nossos teme em perder a sua vida, pois a morte é apenas uma das nossas consequências como Cavaleiros.

Nesta última frase do Grande Mestre, todos abaixem as suas cabeças e, recordação que mais da metade faleceu devido ao medo causado e pensam como o braço direito de Atena, possa ser tão confiante.

Shiryu ler pelo cosmo a preocupação em falhar e deitar tudo a perder que todos sentem.

- Vocês que aguentam a dura realidade de Cavaleiro ao suportar os treinos mortais para conseguir a Armadura e serem os eleitos salvadores da humanidade, vão abandonar tudo assim e desonrar a memória daqueles que morreram em combate?! Se não lutarem, as suas almas jamais conheceram o descanso.

A serenidade é vista nos olhos de Shiryu sem a máscara, todos respeitem os grandes veteranos guerreiros que arriscaram a suas vidas no passado para terem o período de paz, no entanto, temem que o seu número será uma desvantagem numérica.

Shun relata de forma mais resumida possível sobre as sagas que tiveram no passado que apenas 5 Cavaleiros de Bronze foram o suficiente para derrubar o Santuário e outras Guerras Sagradas.

Por fim, Argos, Cavaleiro de Prata, da Constelação de Pavão, voltou da sua missão com o objectivo de espiar o Santuário e reportar todos as suas actividades.

- É bom ver-te, meu filho. Que notícia nos traz? – Kiki pergunta pelo seu discípulo.

O lemuriano apresenta-se de forma formal em presença da deusa Atena e do Grande Mestre.

- Segundo as minhas penas, o seu exército tem 31 Berserkers. Nas Casas Zodiacais são guardadas por 2 em cada uma; 2 na entrada; 3 no Coliseu e 2 nas escadas das 12 casas. A localização dos 4 Comandantes é incerta. – Argos relata toda a sua informação.

- Graças à sua investigação pormenorizada, sabemos o que fazer.

- Descobrir que a deusa Éris foi morta por um dos Comandantes a ordem de Ares. – Apela à sua parte.

- Que horrível! Como ele pode fazer tal atrocidade a sangue frio? – Shun espanta-se.

- Sinto que isto ainda mal começou.

- Em relação, aos Comandantes, creio que nós, os Mestres Anciões devíamos enfrentá-los com as nossas Armaduras Divinas. – Hyoga insiste em saber.

- Estou de acordo, mas não utilizámos as Armaduras Divinas há muito tempo.

- A Armadura surgirá assim que elevarem o cosmo ao seu nível mais alto e regressaram à vossa juventude. – Atena explica que poderão ser utilizada desta forma.
- Dos 4, qual iremos enfrentar? – Questiona o Velho Andrômeda.

- Já pensei nisso, será assim: Shityu vs Kiknos; Ikki vs Phobos; Shun vs Deimos e Hyoga vs Keres. – A deusa sábia já tinha traçado um plano.

Seika que assiste à reunião apela a Atena que deixe degladiar em combate com os outros, a deidara sente uma chama de determinação e convicção nela.

Shiryu ainda planeia uma equipa médica formada por Alkes de Taça e Mike de Escultor.

Todos aplaudem e gritam Atena em louvores pela condução à vitória e posse do Santuário.

Editado por Saint Mystic, 28/06/2009 - 13:44.

Postado 08/02/2009 - 13:11


Inicialmente, o treinamento de Meni seguiu alguns clichês. No entanto, o uso do Golpe Fantasma de Fênix foi um destaque positivo para essa sequência. Aliás, também gostei do modo como as forças de Athena foram reorganizadas. Então, continue com o bom trabalho, Saint! ^^

Postado 08/02/2009 - 13:36


  • Interesses:Fanfics, conversas interessantes e bons momentos
E eis que a confraria finalmente está pronta para retomar o Santuário após a humilhante (E inteligente, por parte do plano de Ares) derrota e retirada.

Sim, gostei muito da interação do capítulo, de Meni e do modo como Pavão descobriu a localização dos Berserkers, apesar de lembrar muito uma tecnica do Reiga (Shurato) e de Shoryu (Fuuma no Kojiro).

Mandou bem, maldito Portuga.

YA-HAÁAAAAAAAAAAA

Postado 08/02/2009 - 14:02


Olá Mistyc!

Sei que demorei muito para postar, mas aqui estou!
Está ficando muito bom!
Não li tudo ainda, fiquei pelo VI, mas não se preocupe...

O que mais gostei foi a relação dos personagens Elektra e Rubkat. A morte de dela foi algo estremamente triste, e ainda mais triste foi imaginar o sofrimento de Sagitário.
Não entendi muito o final do VI, mas logo vou descobrir.

Gostaria de agradecer por você estar sempre desejado forças para meus desenhos. Acho que dei uma melhorada, mas estou deixando de lado momentaniamente o Quinteto Masculino. No momento estou fazendo um que promete muito (mas infelismente não é para a Saga e Ares). Mas continue e desejando forças para melhorar ainda mais.

Se meus planos derem certo, logo teremos coisas para enriquecermos ainda mais a Saga de Ares, algo para os fãs de sua fic.

Meus parabens meu qurido portuga por esse seu belo trabalho.
E mais uma cois, percebi que algumas partes da sua fic são muito rápidas e pouco detalhadas... Saiba que isso é ótimo, pois dá para ampliar as idéias e detalhar posteriormente fazendo assim uma apliação. Ficou confuso essa ultima parte? Calma que só o tempo pode nos revelar. Temos que ser pacientes para aquilo que o destino nos reserva!

Um abraço meu amigo!

Postado 19/02/2009 - 21:25


  • Masei
  • Membros
  • 1.026 posts
Li; minha beta-reader me falou que era interessante ler outras fics - fiz isso.

Bom, de uma maneira geral, a idéia é ótima, tem pontos muito legais e personagens criados interessantes. Mas também tem pontos que me incomodam demais nesta fic - vou detalhar capítulo por capítulo, e talvez fique mais claro meus pontos.

Você, como autor, vai adorar esse post - haha, mas os outros leitores passarão por cima, mas não tem problema, como escritor sei que vai gostar de um post longo sobre sua fic.

Bom, no primeiro capítulo, tem coisas super interessantes - a idéia de Shiryu ser o Mestre do Santuário é simplesmente muito coerente! Um pontasso logo de cara, mas Delfos não soa um bom personagem pra mim. O fato dele ter a mesma habilidade de seu antecessor, Asterion, não pega legal - pois soa como repetição. Mas isso é minha opinião, vi que tem pessoas que curtiram o personagem, mas eu não gosto quando a coisa se repete. Coisa minha.

O capítulo dois dá o tom da ação, do que a fic veio pra ser. E nesse ponto achei a cena da Cavalaria marchando e passando por cima dos guerreiros do Santuário genial - mas... para a Idade Média. Quando, sem querer, esbarro na data novamente da fic, fica uma cena completamente incoerente - se em 1986 não havia cavalaria e, no máximo alguns cavalos reais em Asgard, um país nórdico que parecia ter parado no tempo e, por tanto, os cavalos ficam bem contextualizados - na Grécia, coração da Europa pra lá de 2200, não soa bem contextualizado, bem ambientado. Soa fora de tempo - sim, Guerreiros Santos já soam fora de seu tempo na ambientação original, mas deixaram os cavalos na Idade Média. Fica estranho eles voltarem depois de 2200, é isso que eu digo.

A batalha também é superficial demais e por se tratar de uma puta invasão das Doze Casas, poderia ter um cuidado melhor - eu gostaria de saber como foram as lutas e tudo mais, mas, talvez pra dar agilidade à fic você tenha preferido jogar logo pro final. A cena entre Ares e Atena é absurda como um todo, mas a revelação póstuma explica bem isso.

O capítulo 3 me decepcionou muito. Seika estar viva pelo Misopeta Menos para reencontrar seu irmão reencarnado foi algo difícil de engolir demais; como Atena repartiria um segredo como esse para que Seika reencontrasse seu irmão!? Ainda que fosse por propósitos maiores (a questão do Pégaso Herói). Me soou como uma irresponsabilidade foda, rs. Outro momento que me incomodou demais nesse capítulo foi o fato de Shiryu, Mestre do Santuário, consultando-se com Delfos, um Cavaleiro de Prata ! O diálogo é algo assim surreal. Os papéis se invertem de forma avassaladora. Isso seria interessante se a fic nos levasse a crer que o Mestre do Santuário é frágil, o que explicaria a facilidade da investida de Ares e a revelação do futuro, mas que fica incoerente com o fato de Shiryu ser o Mestre - caso Seiya fosse o Mestre, isso seria tragável mais facilmente.

Esse capítulo foi complicado por que foram informações demais jogadas à esmo no texto; são apresentados vários personagens diferentes, sem focarem na profundidade deles e, não contente em nos trazer duplas e duplas de personagens novos - identificados apenas por nome, relação familiar e suas constelações - a história traz de volta váááários personagens clássicos velhos caquéticos com 200 anos - óquei, Shiryu aparecer é genial; todos eles é uma tentativa vã de salvar a fic de personagens criados insossos). O que é uma inverdade, pois os personagens criados para a fic mal tiveram tempo de se desenvolverem, de se mostrarem e tudo mais. A adição de Velho Cisne, Velho Fênix, Velho Andrômeda, Kiki, Seika poderia ser suprimida da fanfic que eu acho que ela melhoraria bastante. Ter somente Shiryu como um elo com o passado tornaria o passado muito mais nostálgico e respeitado. Minha opinião, pelo menos.

Assim como no capítulo 3 (com a mensagem holograma), o 4 tenta nos 'lembrar' forçadamente da época em que estamos ao apresentar a idéia de treinamento ao bom estilo Matrix (que é uma ótima idéia, o treino mental projetado). Uma ótima ideia mesmo ter bebido na fonte científica - pena que soa demais como um esforço para bater à nossa cabeça e falar 'Hello! Estamos em 2216!'. Também fica evidente a influência dos fanarts - isso desde o começo para os inimigos - de Marco Albiero (Berserkers, T-Rex e outros) o que é bem legal, dá pra imaginar bem os personagens.

O capítulo 5 é daqueles que me incomodam. Shiryu, um Mestre do Santuário, sofrendo um ataque cardíaco é complicado. Por mais velho, caquético que um Cavaleiro esteja, certos malefícios do corpo não se aplicam à ele, mas isso é minha opinião. Mas é um capítulo que traz uma boa surpresa: Rubkut e Elektra, o casal de guerreiros dourados tem uma química ótima - até rara. É uma pena que ela tenha morrido (e de uma forma fácil demais, não acha?).

O capítulo seis é foda! Muito bom mesmo. De longe, o de melhor conteúdo da fic na minha opinião. Começa com a história da tortura dos Berserkers que é realmente muito legal - foge da pieguice de honraria entre Deuses e tudo mais. Só acho que as torturas poderiam ser mais agressivas - chicote não é lá tão torturando, sei que pode inventar utensílios mais macabros pra aterrorizar os que falham para Ares. A luta por uma segunda chance também é ótima.

A cena em Graad, no entanto, me desestimula. A fala entre Seika e a garota sobre o Weize ser Pégaso é vazia e sem sentimento (embora a ideia era ter sentimento) - tem uma parte que ela sugere ter ideias de suicidio, falando como se falasse de suco de laranja. Era um momento que precisava de um tratamento dramático, na minha opinião. Mas o melhor estava por vir, no final. Quando 'Atena' tenta matar a garota e o suposto Pégaso (céus, Pégaso de novo) a livra da morte, ficamos (nós, leitores, importante frisar) sabendo que Atena é, na verdade, Éris! Isso sim foi foda!

Mas, no capítulo sete, parte dessa descoberta cai por terra, pois até então, sou eu LEITOR, que sabe que Atena é, na verdade, Éris! Fiquei imaginando inúmeras possibilidades, mas, para minha surpresa - todos acabam ficando sabendo, como que num passe de mágica. Fiquei me perguntando, que base eles tinham para saber que Atena era Éris? Éris atacar a garota no meio da noite não quer dizer que Atena estava enganando todo mundo e sim que, Éris veio de algum lugar e atentou contra a garota. Não tinha como adivinhar toda trama. Mas é então que a menina se revela Atena (e aí sim as coisas são tragáveis melhor) - talvez as informações tenham sido colocadas no texto de forma desordenada, pode ter sido isso, não sei.

Bom, o oitavo é treino e despertar de Pégaso - é interessante a idéia do Golpe Fantasma, mas é outra vontade louca de aposentar todos os caras novos e rejuvenscer os antigos, fico com essa impressão.

Bom, espero que tenha chego até aqui e que não fique bravo comigo pelos comentários - sinto que preciso ser sincero e que é o que eu gosto de ouvir no que escrevo.

De uma forma geral, você tem um enredo para uma grande história, você tem base para personagens criados interessantes (ainda que tenham um pé no passado), você tem um núcleo muito bem desenvolvido que é o núcleo de Ares - toda sua forma de conduta (menos os cavalos), a questão da tortura e tudo mais.

Mas o 'núcleo' da Fundação Graad é uma confusão completa na minha opinião. Os personagens antigos são desnecessários e ocupam espaço demais que poderia ser ocupado pelos novos para se desenvolverem de maneira apropriada - o que não acontece em nenhum momento até agora. Os personagens que melhor se desenvolveram até aqui, na minha opinião, foi o casal dourado - e num espaço de tempo curtíssimo.

Sua narrativa oscila bastante - tem momentos ótimos de instrospecção e um cuidado diferenciado em se tratando de fanfic, mas tem momentos que ele é breve e corrido demais, jogado mesmo. E o fato de ser um português de Portugal torna a narrativa atraente e diferenciada.

Parabéns pela história - mas se eu puder sugerir, aposente os personagens antigos (faça-os sair de cena aos poucos, já que os colocou tão em evidência; fazê-los desaparecer de uma vez, ficaria estranho, então faça aos poucos). Desenvolva melhor os personagens criados; dê motivações para eles, dê uma personalidade para eles que faça com que eles deixem de ser uma sombra de seus 'mestres' do passado.

E por favor, torture mais berserkers, haha.

Grande história!

Postado 21/02/2009 - 03:28


  • Interesses:Arqueologia CDZ

Inicialmente, o treinamento de Meni seguiu alguns clichês. No entanto, o uso do Golpe Fantasma de Fênix foi um destaque positivo para essa sequência. Aliás, também gostei do modo como as forças de Athena foram reorganizadas. Então, continue com o bom trabalho, Saint! [/)]


Compreendo que o treino mental de Meni, não tenha sido, uma das minhas melhores ideias. Mas queria fazer algo que passa-se depressa. Quanto ao resto, foi um bom difícil de pensar em como organizar o ataque.

E eis que a confraria finalmente está pronta para retomar o Santuário após a humilhante (E inteligente, por parte do plano de Ares) derrota e retirada.

Sim, gostei muito da interação do capítulo, de Meni e do modo como Pavão descobriu a localização dos Berserkers, apesar de lembrar muito uma tecnica do Reiga (Shurato) e de Shoryu (Fuuma no Kojiro).

Mandou bem, maldito Portuga.

YA-HAÁAAAAAAAAAAA


A ideia sempre surge, devido a muitos animes que vejo e uso nas minhas inspirações.

Olá Mistyc!

Sei que demorei muito para postar, mas aqui estou!
Está ficando muito bom!
Não li tudo ainda, fiquei pelo VI, mas não se preocupe...

O que mais gostei foi a relação dos personagens Elektra e Rubkat. A morte de dela foi algo estremamente triste, e ainda mais triste foi imaginar o sofrimento de Sagitário.
Não entendi muito o final do VI, mas logo vou descobrir.

Gostaria de agradecer por você estar sempre desejado forças para meus desenhos. Acho que dei uma melhorada, mas estou deixando de lado momentaniamente o Quinteto Masculino. No momento estou fazendo um que promete muito (mas infelismente não é para a Saga e Ares). Mas continue e desejando forças para melhorar ainda mais.

Se meus planos derem certo, logo teremos coisas para enriquecermos ainda mais a Saga de Ares, algo para os fãs de sua fic.

Meus parabens meu qurido portuga por esse seu belo trabalho.
E mais uma cois, percebi que algumas partes da sua fic são muito rápidas e pouco detalhadas... Saiba que isso é ótimo, pois dá para ampliar as idéias e detalhar posteriormente fazendo assim uma apliação. Ficou confuso essa ultima parte? Calma que só o tempo pode nos revelar. Temos que ser pacientes para aquilo que o destino nos reserva!

Um abraço meu amigo!


Fico contente por veres até onde paraste, e mais ainda pela preferência do casal dourado.

A história em si, não ficará confusa. Terás tempo para saberes o que eu farei na próxima vez.

Li; minha beta-reader me falou que era interessante ler outras fics - fiz isso.

Bom, de uma maneira geral, a idéia é ótima, tem pontos muito legais e personagens criados interessantes. Mas também tem pontos que me incomodam demais nesta fic - vou detalhar capítulo por capítulo, e talvez fique mais claro meus pontos.

Você, como autor, vai adorar esse post - haha, mas os outros leitores passarão por cima, mas não tem problema, como escritor sei que vai gostar de um post longo sobre sua fic.

Bom, no primeiro capítulo, tem coisas super interessantes - a idéia de Shiryu ser o Mestre do Santuário é simplesmente muito coerente! Um pontasso logo de cara, mas Delfos não soa um bom personagem pra mim. O fato dele ter a mesma habilidade de seu antecessor, Asterion, não pega legal - pois soa como repetição. Mas isso é minha opinião, vi que tem pessoas que curtiram o personagem, mas eu não gosto quando a coisa se repete. Coisa minha.

O capítulo dois dá o tom da ação, do que a fic veio pra ser. E nesse ponto achei a cena da Cavalaria marchando e passando por cima dos guerreiros do Santuário genial - mas... para a Idade Média. Quando, sem querer, esbarro na data novamente da fic, fica uma cena completamente incoerente - se em 1986 não havia cavalaria e, no máximo alguns cavalos reais em Asgard, um país nórdico que parecia ter parado no tempo e, por tanto, os cavalos ficam bem contextualizados - na Grécia, coração da Europa pra lá de 2200, não soa bem contextualizado, bem ambientado. Soa fora de tempo - sim, Guerreiros Santos já soam fora de seu tempo na ambientação original, mas deixaram os cavalos na Idade Média. Fica estranho eles voltarem depois de 2200, é isso que eu digo.

A batalha também é superficial demais e por se tratar de uma puta invasão das Doze Casas, poderia ter um cuidado melhor - eu gostaria de saber como foram as lutas e tudo mais, mas, talvez pra dar agilidade à fic você tenha preferido jogar logo pro final. A cena entre Ares e Atena é absurda como um todo, mas a revelação póstuma explica bem isso.

O capítulo 3 me decepcionou muito. Seika estar viva pelo Misopeta Menos para reencontrar seu irmão reencarnado foi algo difícil de engolir demais; como Atena repartiria um segredo como esse para que Seika reencontrasse seu irmão!? Ainda que fosse por propósitos maiores (a questão do Pégaso Herói). Me soou como uma irresponsabilidade foda, rs. Outro momento que me incomodou demais nesse capítulo foi o fato de Shiryu, Mestre do Santuário, consultando-se com Delfos, um Cavaleiro de Prata ! O diálogo é algo assim surreal. Os papéis se invertem de forma avassaladora. Isso seria interessante se a fic nos levasse a crer que o Mestre do Santuário é frágil, o que explicaria a facilidade da investida de Ares e a revelação do futuro, mas que fica incoerente com o fato de Shiryu ser o Mestre - caso Seiya fosse o Mestre, isso seria tragável mais facilmente.

Esse capítulo foi complicado por que foram informações demais jogadas à esmo no texto; são apresentados vários personagens diferentes, sem focarem na profundidade deles e, não contente em nos trazer duplas e duplas de personagens novos - identificados apenas por nome, relação familiar e suas constelações - a história traz de volta váááários personagens clássicos velhos caquéticos com 200 anos - óquei, Shiryu aparecer é genial; todos eles é uma tentativa vã de salvar a fic de personagens criados insossos). O que é uma inverdade, pois os personagens criados para a fic mal tiveram tempo de se desenvolverem, de se mostrarem e tudo mais. A adição de Velho Cisne, Velho Fênix, Velho Andrômeda, Kiki, Seika poderia ser suprimida da fanfic que eu acho que ela melhoraria bastante. Ter somente Shiryu como um elo com o passado tornaria o passado muito mais nostálgico e respeitado. Minha opinião, pelo menos.

Assim como no capítulo 3 (com a mensagem holograma), o 4 tenta nos 'lembrar' forçadamente da época em que estamos ao apresentar a idéia de treinamento ao bom estilo Matrix (que é uma ótima idéia, o treino mental projetado). Uma ótima ideia mesmo ter bebido na fonte científica - pena que soa demais como um esforço para bater à nossa cabeça e falar 'Hello! Estamos em 2216!'. Também fica evidente a influência dos fanarts - isso desde o começo para os inimigos - de Marco Albiero (Berserkers, T-Rex e outros) o que é bem legal, dá pra imaginar bem os personagens.

O capítulo 5 é daqueles que me incomodam. Shiryu, um Mestre do Santuário, sofrendo um ataque cardíaco é complicado. Por mais velho, caquético que um Cavaleiro esteja, certos malefícios do corpo não se aplicam à ele, mas isso é minha opinião. Mas é um capítulo que traz uma boa surpresa: Rubkut e Elektra, o casal de guerreiros dourados tem uma química ótima - até rara. É uma pena que ela tenha morrido (e de uma forma fácil demais, não acha?).

O capítulo seis é foda! Muito bom mesmo. De longe, o de melhor conteúdo da fic na minha opinião. Começa com a história da tortura dos Berserkers que é realmente muito legal - foge da pieguice de honraria entre Deuses e tudo mais. Só acho que as torturas poderiam ser mais agressivas - chicote não é lá tão torturando, sei que pode inventar utensílios mais macabros pra aterrorizar os que falham para Ares. A luta por uma segunda chance também é ótima.

A cena em Graad, no entanto, me desestimula. A fala entre Seika e a garota sobre o Weize ser Pégaso é vazia e sem sentimento (embora a ideia era ter sentimento) - tem uma parte que ela sugere ter ideias de suicidio, falando como se falasse de suco de laranja. Era um momento que precisava de um tratamento dramático, na minha opinião. Mas o melhor estava por vir, no final. Quando 'Atena' tenta matar a garota e o suposto Pégaso (céus, Pégaso de novo) a livra da morte, ficamos (nós, leitores, importante frisar) sabendo que Atena é, na verdade, Éris! Isso sim foi foda!

Mas, no capítulo sete, parte dessa descoberta cai por terra, pois até então, sou eu LEITOR, que sabe que Atena é, na verdade, Éris! Fiquei imaginando inúmeras possibilidades, mas, para minha surpresa - todos acabam ficando sabendo, como que num passe de mágica. Fiquei me perguntando, que base eles tinham para saber que Atena era Éris? Éris atacar a garota no meio da noite não quer dizer que Atena estava enganando todo mundo e sim que, Éris veio de algum lugar e atentou contra a garota. Não tinha como adivinhar toda trama. Mas é então que a menina se revela Atena (e aí sim as coisas são tragáveis melhor) - talvez as informações tenham sido colocadas no texto de forma desordenada, pode ter sido isso, não sei.

Bom, o oitavo é treino e despertar de Pégaso - é interessante a idéia do Golpe Fantasma, mas é outra vontade louca de aposentar todos os caras novos e rejuvenscer os antigos, fico com essa impressão.

Bom, espero que tenha chego até aqui e que não fique bravo comigo pelos comentários - sinto que preciso ser sincero e que é o que eu gosto de ouvir no que escrevo.

De uma forma geral, você tem um enredo para uma grande história, você tem base para personagens criados interessantes (ainda que tenham um pé no passado), você tem um núcleo muito bem desenvolvido que é o núcleo de Ares - toda sua forma de conduta (menos os cavalos), a questão da tortura e tudo mais.

Mas o 'núcleo' da Fundação Graad é uma confusão completa na minha opinião. Os personagens antigos são desnecessários e ocupam espaço demais que poderia ser ocupado pelos novos para se desenvolverem de maneira apropriada - o que não acontece em nenhum momento até agora. Os personagens que melhor se desenvolveram até aqui, na minha opinião, foi o casal dourado - e num espaço de tempo curtíssimo.

Sua narrativa oscila bastante - tem momentos ótimos de instrospecção e um cuidado diferenciado em se tratando de fanfic, mas tem momentos que ele é breve e corrido demais, jogado mesmo. E o fato de ser um português de Portugal torna a narrativa atraente e diferenciada.

Parabéns pela história - mas se eu puder sugerir, aposente os personagens antigos (faça-os sair de cena aos poucos, já que os colocou tão em evidência; fazê-los desaparecer de uma vez, ficaria estranho, então faça aos poucos). Desenvolva melhor os personagens criados; dê motivações para eles, dê uma personalidade para eles que faça com que eles deixem de ser uma sombra de seus 'mestres' do passado.

E por favor, torture mais berserkers, haha.

Grande história!


Antes de mais nada, muito mas muito obrigado por seres o meu fic com gosto.

Confesso que sou amador enquanto fã, farei sempre o meu melhor para que esta obra, possa ser alvo de muitos fãs, tanto novos como antigos para lerem com entusiasmo e orgulho.

Vou melhorar mais ainda e fazer sempre o meu melhor.

Muito obrigado.

Postado 21/02/2009 - 15:19


  • Interesses:Arqueologia CDZ
Para não ficarem sem nada para lerem, apresento-vos um post recheado de informações sobre Ares e seus filhos nas versões de fanarts, oficiais e textos de Wikipédia:

De Camille Adams:

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Observações: na perpectiva deste autor, ele usa os deuses míticos orientais nos seus filhos de forma a ordenar o exército: Deimos, deus do terror, usa Gembu reprsentando o Norte; Enyo, deusa da carnificina, usa Byakko representando o Este; Anteros, deus da desunião, usa Suzaku representado o Sul e Phobos, deus do medo, usa Seiryu representando o Oeste.

De Marco Albiero

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Observações: o italiano, preferiu usar somente os seus dois filhos: Phobos e Deimos, juntamente com Éris, companheira da Discórdia.

Desconhecido

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Observações: Este criador desconhecido desenhou as armaduras e as personagens de acordo com a sua imaginação, primeiro temos, Deimos, depois Phobos, Phonos (deus dos homicídios; matar o próximo por perversidade. A tradução do termo phonos na Bíblia de Almeida está embutida na tradução de methe, a seguir, por tratar-se de práticas conexas) e por último é Keres, em representação a uma mulher com traços e características de Vampiros.

Editado por Saint Mystic, 28/06/2009 - 13:52.

Postado 21/02/2009 - 15:49


  • Interesses:Arqueologia CDZ
De Juan Carlos Brito

Imagem Postada

Observações: A Caixa de Pandora Olimpica de Ares.

De Cobra

Imagem Postada

Observações: Uma ilustração do fanvideo de Zeus Chapter.

De Sacred Saga

Imagem Postada

Obseravções: A sua "kamui" não é muito diferente de Marco Albiero.

De SpaceWeaver

Imagem Postada

Observações: Uma obra do francês na definição típica do deus carnificeiro.

De Maxarkes

Imagem Postada

Observações: Um fanart do fic "Gaia Trilogy", descrevendo a sua Kamui de guerra, na sua autoria de deus guerreiro.

Editado por Saint Mystic, 28/06/2009 - 13:54.

Postado 21/02/2009 - 15:57





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos